sexta-feira, 12 de março de 2010

A horda primeva

A horda primeva, que Freud descreve em Totem e Tabu, é formada por um bando de irmãos que vivem sob a liderança e repressão sexual de um pai violento, que possui e vigia todas a fêmeas contra as possíveis investidas sexuais dos filhos machos, e enciumado os expulsa do bando, tão logo eles se tornem grandes o suficiente para pôr em risco o poder absoluto do pai.
Animado por sentimentos contraditórios em relação a esse pai tirano, invejado e admirado, o bando se une em torno do desejo de despojar-lhe de seu poder. Matam-no, apaziguando o ódio que sentiam por ele.
Mas o remorso pela morte do pai enche-os de culpa, sentimento este que os faz renegar o ato homicida e leva-os à renúncia sexual.
O sentimento de culpa gera duas proibições fundamentais: matar o pai e obter satisfação sexual com a mãe.
Estes são os dois interditos ativos que atuam na cena edípica.O conhecimento sobre o mito freudiano do pai primitivo e dos sentimentos ambivalentes que animam os filhos - admiração e ódio, ajuda-nos a entender a sobrevivência de uma mitologia infantil arcaica que compõe a geografia da vida psíquica.

Um comentário:

Helena Masseo de Castro disse...

Muito bom!
Claro, conciso, facilmente compreensível! Bem escrito!